Banner Cirurgias

Hipermetropia

Hipermetropia: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Ao longo de sua vida é provável que já tenha ouvido falar sobre a hipermetropia. A informação básica que todos temos é de que essa é uma doença que afeta nossa visão, mas de que forma?

Afinal, qual a diferença da hipermetropia para a miopia ou até mesmo para o astigmatismo? Hoje nós vamos acabar com todas essas dúvidas e vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a hipermetropia.

Coloque seus óculos (se usar) e continue lendo para entender melhor sobre o assunto!

O que é hipermetropia?

A hipermetropia se caracteriza pela dificuldade em ver de perto. Sabe aquelas pessoas que quando vão ler precisam afastar o livro ou o objeto de seus olhos? Elas sofrem com essa doença. Quando as coisas estão próximas a visão fica embaçada e não é possível ler com clareza.

A hipermetropia é o oposto da miopia, que é quando as pessoas não enxergam bem de longe. Infelizmente, algumas pessoas têm ambos os problemas de visão, nesses casos, o uso de óculos é indispensável.

Mas o que causa a doença, afinal? A hipermetropia é resultado de um erro refrativo que faz com que o olho seja mais curto ou menor. Ela também ocorre quando a curvatura da córnea é mais plana do que deveria, isso faz com que as imagens sejam projetadas atrás da retina, ao invés de ocorrer na retina, que seria o correto.

Tipos de hipermetropia

Talvez você não saiba, mas não existe apenas um tipo de hipermetropia. Na verdade, há dois tipos e nós já vamos detalhar sobre cada um deles.

  • Hipermetropia Axial: também conhecida como hipermetropia infantil, esse tipo atinge principalmente as crianças quando o olho ainda está em desenvolvimento. Nesses casos é comum encontrar o olho curto e também alterações no raio e na curvatura do cristalino
  • Hipermetropia Refrativa: essa pode acometer adultos e crianças e se dá por conta do erro de refração que mencionamos rapidamente. Ao invés dos raios luminosos projetarem a imagem na retina, eles a projetam atrás dela.

Causas da hipermetropia

A hipermetropia é causada por uma anomalia na forma do olho, onde a lente ou o cristalino não são suficientemente curvos ou o olho é menor do que o normal. A maioria dos casos de hipermetropia tem origem hereditária e são fruto da má formação congênita do olho.

A hipermetropia pode ser congênita ou adquirida e, além de fatores genéticos, pode ser causada também pelo envelhecimento ou outras condições como lesões oculares, doenças e uso prolongado de medicamentos.

Sintomas de hipermetropia

Você sabe reconhecer quais são os sintomas de um olho com hipermetropia? Nós separamos uma lista a seguir com os principais sinais.

  • Dificuldade para ver de perto;
  • Dor de cabeça;
  • Cansado visual;
  • Visão desfocada;
  • Sensação de ardor nos olhos;
  • Vermelhidão nos olhos;
  • Lacrimejamento;
  • Peso ao redor dos olhos;
  • Náuseas.

Como você pôde ver, os sintomas são diversos e a hipermetropia pode inclusive causar náuseas. Fique atento, se perceber qualquer um desses sintomas, o ideal é procurar o médico oftalmologista.

Diagnóstico

O diagnóstico da hipermetropia é realizado por um oftalmologista através de exames oftalmológicos, como testes de acuidade visual e medida da refração (determinação da graduação corretiva necessária). Com as pupilas dilatadas ele fará um teste de refração e descobrirá se você tem o problema e em que grau está.

A correção do erro refrativo pode ser feita com a prescrição de óculos ou lente de contato. O médico irá indicar o grau correto que deve usar.

Leia também: Retina do olho: o que é retina, cuidados, doenças, exames e tratamentos

Hipermetropia tem cura?

Sim, a hipermetropia tem cura e é possível se livrar completamente do distúrbio com a cirurgia de hipermetropia (Cirurgia Refrativa Ocular a Laser) – Que corrige os erros de refração.

Tratamentos para hipermetropia

O tratamento mais comum da hipermetropia é o uso de óculos, pois ele permite a correção do erro refrativo, reorientando os raios de luz na retina. No entanto, como você acabou de descobrir, também existe a cirurgia de hipermetropia.

A cirurgia remodela o formato da córnea através de laser e aumenta a curvatura de forma proporcional ao grau do paciente. Essa é a forma mais segura e precisa para corrigir a hipermetropia ocular. Parece incrível, não é? Mas, nem todo mundo pode realizar a intervenção cirúrgica. Cada caso é avaliado individualmente, mas é preciso atender alguns critérios para ser elegível ao procedimento.

É preciso ter maturidade física, apesar da hipermetropia em criança, elas não podem passar pelo procedimento. Além disso, é preciso ter o grau estabilizado há no mínimo 1 ano, não ter outros problemas oculares e não ultrapassar o grau máximo indicado que é de 5°.

Se você passou pela avaliação e essa foi a solução dada por seu oftalmo, não precisa se preocupar. O procedimento é super rápido e dura entre 10 e 20 minutos e não é necessário ficar internado e o pós-operatório é tão tranquilo quanto a cirurgia. O ideal é seguir à risca as recomendações de seu médico e você não terá problemas!

Provavelmente, o indicado será ficar um pouco mais quieto nos primeiros dias e evitar movimentos bruscos, com a cabeça principalmente. Mas, não é nada muito complexo. Logo, você estará livre da hipermetropia e talvez, até mesmo dos óculos.

Lentes para hipermetropia

Há ainda a possibilidade de realizar a correção do erro refrativo com o uso de lentes. Essa é a escolha para quem preza pela estética e não gosta da ideia de usar óculos.

As lentes para hipermetropia são gelatinosas e podem ser trocadas diariamente, semanalmente ou mensalmente. No entanto, se você tem outros problemas oculares, talvez o uso das lentes não seja o mais indicado. Mas, seu médico fará o diagnóstico e dará todas as formas de tratamento para o seu caso.

Perguntas frequentes

Agora você sabe mais sobre hipermetropia que a maioria das pessoas. Mas, ainda não acabou. Se você ainda está com dúvidas sobre, nós vamos responder algumas das mais comuns logo abaixo!

Qual o tipo de lente usada para corrigir a hipermetropia?

As lentes gelatinosas são o tipo de lente mais usadas e indicadas para o corrigir a hipermetropia. As rígidas são mais indicadas para quem sofre com astigmatismo em grau alto ou muito irregular. Mas, para quem não enxerga bem de perto, as gelatinosas são a melhor opção.

Quem tem hipermetropia tem que usar óculos direto?

Sim, para quem tem hipermetropia, é ideal fazer o uso dos óculos com frequência. Caso contrário, você terá que lidar com uma série de sintomas comuns da hipermetropia. É uma atitude que vai afetar mais sua qualidade de vida, do que a saúde dos seus olhos propriamente dito.

Quem tem hipermetropia enxerga de longe?

Se o paciente tiver apenas hipermetropia, sim, conseguirá enxergar bem de longe, tranquilamente. O problema é que algumas pessoas têm mais de um problema de visão, nesses casos pode acontecer de alguém que tem hipermetropia e outra condição, não conseguir ver bem de perto, nem de longe.

Cuide da saúde de seus olhos

Como você pode ver, esse é apenas um dos muitos problemas que podem comprometer a saúde de seus olhos. Por isso, é muito importante visitar o médico oftalmologista ao menos uma vez ao ano e realizar os exames de rotina.

logo

Nosso comprometimento é oferecer aos nossos pacientes o que há de mais moderno. Além disso, nossos profissionais estão sempre se atualizando em busca dos melhores procedimentos. E para entregar os melhores resultados, buscamos equipar nossas unidades com tecnologia de última geração.

facebook
intagram
linkedin

© 2024 Americas Oftalmocenter. Todos os direitos reservados.